Livro - Eu sou a Lenda

| quinta-feira, 2 de junho de 2011 | |
Escrito e publicado em 1954, pela Gold Metal, Eu sou a Lenda é um divisor de águas, um dos maiores clássicos da literatura moderna de terror, tanto pela narrativa instigante de Matheson quando pelos temas abordados durante o percurso do livro.  O livro foi um catalisador para os gêneros Zumbi e o pós-apocalíptico, no qual toda, ou boa parte, da humanidade é extinta devido a fatores biológicos, como epidemias.

Apesar de ser chamada de uma história de terror por muitos, Eu sou a Lenda na verdade é uma história de solidão. Não há tanta ação ou suspense, mas sim um sentimento, tão bem passado por Matheson, de ser o último homem vivo na Terra.


Enredo:
A história se passa em um futuro pós-apocalíptico, em meados dos anos 70, onde Robert Neville, o único sobrevivente de uma crise de vampirismo, busca sobreviver à horda de criaturas que cercam sua casa durante a noite, provocando-o em uma tentativa de tira-lo de sua fortaleza protegida por dentes de alho e reforçada de todas as maneiras, inclusive paredes à prova de som para que Neville evite os gritos horrorosos das bestas.

Depois de muitos anos em depressão, escondido às noites dentro de casa e caçando vampiros, buscando suprimentos e reforçando sua casa durante o dia, Neville decide buscar uma cura, ou pelo menos entender a doença que cerca sua casa. Entupido de livros e relatórios pegos em uma biblioteca, Neville descobre que o vampirismo vem de uma bactéria que afeta tanto os mortos quanto os vivos.

Com o passar da curta história, somos apresentados ao passado de Neville, no começo de toda a epidemia. Conhecemos bem sua família, sua rotina, e tudo que levou o mundo a ser como é. Conhecemos Ruth, uma mulher misteriosa e aparentemente  imune à infecção, assim como Neville, que passa a conviver com ele no fim do mundo. A trama é cheia de reviravoltas, revelações e situações de acelerar o coração de qualquer um e entristecer até o mais individualista dos leitores.


Personagens:
Robert Neville: Único sobrevivente da epidemia que assolou a Terra na década de 70. Busca uma cura para a doença que é o vampirismo.
Bem Cortman: Companheiro de trabalho, vizinho e amigo de Neville, que é transformado em vampiro e atua como principal antagonista da trama.
Ruth: Uma misteriosa mulher que aparece na vida de Neville após a epidemia devastar a humanidade.


Curiosidades:
Eu sou a Lenda influenciou vários filmes pós-apocalípticos, entre eles "A Noite dos Mortos-vivos", de George Romero,  "Extermínio" e sua sequencia.

Várias adaptações foram feitas do livro. Em 1964, "Mortos que Matam" (The Last Man on Earth), em 1971, "A Última Esperança da Terra" (The Omega Man) e mais recentemente, estrelado por Will Smith, "Eu sou a Lenda" (I Am Legend). Além das telonas, Eu sou a Lenda foi adaptado para os quadrinhos e um programa de rádio dividido em nove partes.

Apesar de Matheson não ter conhecimento, em 1826 Mary Shelley escreveu um livro intitulado "The Last Man", sobre um futuro avassalado por uma praga e a vida de seu único sobrevivente.

3 Comentários (Comente aqui!):

Ana Death Duarte Says:
6 de junho de 2011 21:22

Eu odiei o filme. Especialmente porque eles parecem zumbis. E o livro é, bem... sobre VAMPIROS. E o Neville... bem, é mais a gordo e ... bem, meio ruivo/loiro... o ator que fez o Capote no filme seria perfeito! Bah... Ótimo livro/Péssimo filme.

This Gomez Says:
9 de setembro de 2011 20:22

Rapaz, é um tema que tem se tornado comum, não é?
Digo, não no sentido banalizado, mas porque várias produções semelhantes me vieram à cabeça, agora ^^

Eu vi o filme e gostei, espero curtir também o livro ^^

Beijos, meus lindos =*

This Gomez - Steampink - Canto e Conto

Anônimo Says:
1 de dezembro de 2011 22:57

Acabei de ler o livro, assiti primeiro o filme, e mesmo versões tão diferentes, adorei os dois. Você começa a ler e se surpreende com a diferença de versões, mesmo personagem,pouco semelhança,se ficar comparando o filme não terá nada a ver,não foi feito para ser igual ao livro, foi apenas baseado em alguns fatores, a essencia fim da humanidade, etc, o resto muda muito, os vampiros do livro, tem alguns como aparência quase normal, e no livro inclusive tem apelo sexual, as vampiras tentam atrair Neville se mostrando e sabendo da necessidade dele de compania e sexo, pertubador. Se olhar o filme como outra obra, dá para entedenr. Amei os dois, claro acho o final do filme mais poetico, o do livro mais real e impactante. Vale a pena.

Postar um comentário

Obrigado por nos prestigiar com sua visita e agora comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...